2012

Sim, eu voltei. Não sei se para ficar. Quem sabe seja uma mera empolgação de início de ano… espero que não.

O que é fato é que o fim de 2011 me pegou. Fiquei empolgado demais pelas redes sociais, pelos planejamentos, por colocar ideias na tela do notebook, pelo meu trabalho.

Agora com 2012, tem-se o último ano da faculdade! Mas não é porque eu tenho um TCC pela frente e um projeto de mestrado para desenvolver que eu deixarei o blog novamente para trás. Acho até que pelo contrário, pois provavelmente precisarei dele para alguma coisa.

Aos leitores fiéis, espero que não tenham me deixado (rs). Aos novos, sejam bem-vindos.

 

E vamos que vamos!

Anúncios

Em crise

Está chovendo e é domingo. Normalmente, em dias como este (ainda mais sendo o último domingo de férias), eu estaria lendo.

Minha relação de livros lidos deste ano deu uma estancada. Simplesmente parou. Primeiro por causa da faculdade (sempre ela) e segundo, por algo que posso até chamar de “crise”. Cheguei num momento muitas vezes apresentado pelos críticos literários que li, de ler somente o que é bom e que não faça você perder seu tempo. Forte né?! Sempre tive muita curiosidade em ler de tudo um pouco, sendo que até peguei algumas sagas “digestíveis” por demais, somente para conhecer. E agora estou nessa, de nada me agradar.

Com muita força li até a página 100 (das quase 1000) de “2666”, do Roberto Bolaño. Um livro muito bem recebido pela crítica. Até gostei do modo como ele escreve, mas será que precisa de tantos detalhes? Pergunto o mesmo ao livro do Orhan Pamuk, “O livro negro”.

Cheguei até a pedir sugestões no Twitter e no Facebook de leituras, para ver se eu me animava. E nada!

Até quando?


Trailer de “A menina que brincava com fogo”

Já falei por aqui que a trilogia “Millenium”, de Stieg Larsson, foi a melhor história policial de todas que já li. E como boas histórias ultimamente rendem dinheiro, os livros tornaram-se filmes, primeiro na versão sueca e depois na versão hollywoodiana.

Ano passado, o volume 1, “O homem que não amava as mulheres”, passou quase que despercebido pelo cinema que costumo ir. Ficou somente uma semana e acabei perdendo. Esta semana somente que poderei assistir. Mas procurando na internet, encontrei o trailer da versão sueca para “A rainha do castelo de ar”, já o volume 3 (ou parte 3, como queira). Confere! (lembrando que a parte 2 ainda não chegou aqui pelo Brasil)


E mais estantes!

Navegando por alguns jornais internacionais, acabei encontrando uma proposta bastante bacana do The Guardian. Pediram aos leitores que enviassem imagens de seus livros, do modo que são organizados ou algo parecido com organização. Eles separaram quinze imagens, que você pode conferir neste link. Abaixo eu selecionei duas que gostei bastante e por último uma foto de uma das minhas estantes.

Esta é organizada por tamanho e cor


Estante típica de bibliófilo

Esta é a minha


Diary of Facebook

Vídeos são vários que você encontra por aí falando do Facebook e principalmente tratando da parte mais tecnológica e criativa. Neste, feito pela MTV, conhecemos o Facebook por dentro (mesmo vendo vários vídeos, sempre é deixar o queixo caído!) e de diferente, há relatos de algumas pessoas e o seu envolvimento com a rede social. Vale muito a pena assistir aos 20 minutos.

[videolog 640650]


Littera Clube de Cultura

Um dos grandes momentos pelos quais ansiava ao me mudar para Florianópolis: debater cultura.
Há um mês recebi convite da Isabel Guenther para participar de um grupo de leitura e de cinema. Fomos discutindo, elecando algumas “regras” e nosso primeiro encontro foi dia 01/05.

O intuito do Littera Clube de Cultura (nome que demos ao grupo) é debater cultura, simples. Nossos encontros são em lugares públicos, como livrarias, cafés, bibliotecas e afins e em meses pares discutimos um filme e nos ímpares um livro. Como o primeiro encontro foi em maio, teremos de debater um livro. E aí retornaremos a nos encontrar dentro de um mês, para colocar nossas impressões à mesa.

O primeiro livro que escolhemos, foi um clássico do Prêmio Nobel de Literatura de 1982, “O amor nos tempos do cólera”, de Gabriel García Márquez. Foi um livro em que uma época eu comecei a ler, mas assim como dizia Ranganathan (bibliotecário indiano), “para cada livro o seu tempo”, e não era o tempo de ler “O amor”. Hoje, em 07 de maio, meados da página 70 do livro, sinto que já estou preparado para esta grande leitura.

Todos de Florianópolis e região estão convidados. O grupo preza ao máximo possível pela informalidade, nada de regulamentos ditatoriais, mentes geniosas e interpretações técnicas. Queremos é pensar!

Quer participar? Envie um e-mail: jorge.exlibris@gmail.com


Atualizações

Para retornar às atualizações frequentes, a página Li em 2011 recebeu atualização com minhas últimas leituras. Fechei até abril com 19 leituras, a maioria voltada à tematica de livros que falam de livros ou leitura.
Também acrescentei alguns links à lista ali ao lado. Tem muita coisa interessante ali, naveguem!