Tag Archives: 2010

Os 10 melhores livros que li em 2010

Assim como no ano passado, decidi fazer a listagem dos 10 melhores livros que li em 2010. Não foi uma tarefa muito fácil, pois comparado com o que li em anos anteriores, em 2010 eu li muito pouco, 24 títulos. Mas resolvi listá-los, vamos lá!

10º – La Tabla de Flandes, de Arturo Pérez-Reverte
Reverte já foi citado por Dan Brown como uma de suas inspirações. E realmente inspirou, por este livro tem muito do que hoje se tornou a escrita de Brown. Uma história de mistério bastante interessante (em espanhol).

9º – Os viúvos, de Mario Prata
Comprei este livro por acaso, quando o escritor estava num evento aqui em Florianópolis, fazendo a divulgação. Comprei, pedi autógrafo e em menos de dois dias conheci a história do detetive Fioravanti em plena Floripa. Interessante que cada capítulo do livro é um bairro ou local da Ilha da Magia. Viajei pela cidade sem sair do meu quarto.

8º – Herdando uma biblioteca, de Miguel Sanches Neto
Recomendo este livro pela paixão do autor em narrar como montou sua biblioteca particular. O cara é ali, de Curitiba.

7º – Bilionários por acaso: a criação do Facebook, de Ben Mezrich
A grande atração do ano de 2010. Ganhei o livro de amigo secreto, li em algumas horas e corri para o cinema ver a versão do filme. Vale muito a pena! Dá gosto de ver do que um universitário é capaz munido de uma boa massa pensante.

6º – Os espiões, de Luis Fernando Verissimo
Verissimo sempre aparece nas minhas listas dos melhores. E com este livro, 3º lugar no Prêmio Jabuti 2010, ele sai do seu gênero de domínio, a crônica, e parte para um romance. Um romance que fala sobre livros, melhor ainda.

5º – Conversa sobre o tempo, de Arthur Dapieve com Luis Fernando Verissimo e Zuenir Ventura
Mais uma vez Verissimo, mas desta vez numa conversa agradabilíssima com Dapieve e Ventura. Dapieve entrevista os dois num sítio e a conversa vira livro. Eles falam sobre política, livro, morte, amizade e diversos temas. Um banho de cultura brasileira e internacional.

4º – Não contem com o fim do livro, de Umberto Eco
Também um dos grandes temas de 2010, o futuro do livro perante a tecnologia digital dos e-readers. O autor, especialista em leitura e vários outros temas, é entrevistado e fala sobre o envolvimento do homem com o livro, seja em papel ou digital.

3º – A menina que brincava com fogo, de Stieg Larsson
Trilogia Millennium, a melhor história policial que eu já li. Tudo muito bem escrito e traduzido. História boa, envolvente. Se encaixa naquela categoria de livros que não conseguimos parar de ler até terminar.

2º – A nova desordem digital, de David Weisberger
Título indicado numa palestra e que peguei emprestado na biblioteca da universidade. Para quem é da área da Biblioteconomia, que trabalha com informação, este livro é essencial.

1º – Caim, de José Saramago
Não poderia deixar de ser, novamente Saramago em primeiro lugar. Ano passado ele ficou com “O homem duplicado” e agora com “Caim”, esta história totalmente audaz, bem escrita. Enfim, uma boa história saramagueana.

E para você, quais foram os 10 melhores livros que leste em 2010?

Anúncios

Prêmios Jabuti e Portugal Telecom 2010

Faz alguns dias já que saíram os indicados aos prêmios Jabuti e Portugal Telecom de Literatura. O Prêmio Jabuti, a nível nacional, é o maior a respeito de literatura (por área e romance) e o Portugal Telecom volta-se à literatura dos países de língua portuguesa.
Vi ontem a relação dos indicados e dois grandes escritores, que considero muito, estão concorrendo.

Para o Prêmio Jabuti de Melhor Romance de 2010, eis os indicados:

“Se eu fechar os olhos agora”, de Edney Silvestre
“Outra vida”, de Rodrigo Lacerda
“Leite Derramado”, de Chico Buarque
“Os Espiões”, de Luis Fernando Verissimo
“Golpe de Ar”, de Fabrício Corsaletti
“Sinuca embaixo d’água”, de Carol Bensimon
“O Albatroz Azul”, de João Ubaldo Ribeiro
“O Filho da mãe”, de Bernardo Carvalho
“A passagem tensa dos corpos”, de Carlos de Brito e Mello
“O boi no café”, de Sérgio Viotti.

E para o Prêmio Portugal Telecom, os indicados são:
“A passagem tensa dos corpos”, de Carlos de Brito e Mello
“AvóDezanove e o segredo do soviético”, de Ondjaki
“Caim”, de José Saramago
“Lar”, Armando Freitas Filho
“Leite Derramado”, de Chico Buarque
“Monodrama”, de Carlito Azevedo
“O filho da mãe”, de Bernardo Carvalho
“Olhos secos”, de Bernardo Ajzemberg
“Outra vida”, de Rodrigo Lacerda
“Pornopopéia”, de Reinaldo Moraes.

De tanto falar sobre alguns dos indicados, já fica meio óbvio para quem eu torço. Quero muito que o Verissimo ganhe o Jabuti e Saramago o Telecom. Quanto ao Jabuti, temos a forte concorrência de Buarque e Ubaldo, que podem atrapalhar um pouco o Verissimo. Brito e Mello, Bernardo Carvalho e Ricardo Azevedo também podem ser fortes candidatos, já que estão indicados aos dois prêmios.

Já para o Prêmio Telecom, Saramago é um fortíssimo candidato. Seu último livro, que é o indicado, é uma obra incrível, uma das melhores.

Em 01 de outubro teremos o resultado do Jabuti e em 04 de novembro, o Telecom. Que ganhe o melhor!